Piauiense preso pela PF aparece em vídeo de assédio na Rússia

Em destaque Luciano Gil Mendes Coelho no vídeo que viralizou nas redes socias. (Foto:reprodução/internet).

O piauiense Luciano Gil Mendes Coelho, foi identificado como um dos brasileiros que aparece em um vídeo que viralizou nas redes socias, assediando uma jovem aparentemente russa e que não fala português, durante a Copa do Mundo da Rússia.

Luciano Gil Mendes Coelho é empresário e engenheiro civil, natural da cidade de Jaicós, localizada na região sul do Piauí, a 364km de Teresina. Formado pela Universidade Federal do Piauí, atualmente faz mestrado em Portugal, já foi membro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI), trabalhou na prefeitura de Araripina-PE e nas Secretarias de Saúde e Educação do Estado do Piauí.

Já foi preso pela Polícia Federal

O engenheiro foi preso em 2015 em ação conjunta da Polícia Federal com a Controladoria Geral da União, em operação nomeada “Paradise”, que tinha como objetivo de desarticular esquema de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Araripina. Segundo a investigação, o grupo desviava dinheiro público, repasse do Ministério da Educação, que deveria ser usado para a construção creches e escolas.

Desculpas

Em entrevista ao G1, Luciano pediu desculpas e reconheceu o erro.

“Já pedi desculpas a todas as mulheres. Todos nós somos seres humanos e erramos e além disso não conhecíamos ninguém, bebemos um pouco mais da conta e foi isso. Alguém que não conheço filmou. Mas aqui todos estavam brincando e todos entendem a agitação, mas mulheres realmente tem razão em questionar”, declarou o engenheiro.

Outros dois brasileiros foram identificados no vídeo, um policial militar de Santa Catarina, Eduardo Nunes e o pernambucano Diego Valença Jatobá, que já foi secretário de Turismo, Cultura e Esportes de Ipojuca (PE).

O Ministério do Turismo condenou, em Brasília, a atitude de um grupo de brasileiros registrados, em vídeo, assediando uma mulher durante as comemorações da Copa do Mundo, na Rússia.

Com informações O Globo