Cruzeiro é campeão em jogo que a arbitragem quase estragou com o VAR

Com a vitória por 2 a 1 sobre o Timão, Raposa conseguiu o sexto título da competição nesta quarta-feira (17 de outubro)

O Cruzeiro se sagrou campeão da Copa do Brasil pela sexta vez em sua história, sendo a segunda consecutiva. Em um jogo marcado por polêmicas com o árbitro de vídeo (VAR), a Raposa venceu o Corinthians por 2 a 1, em plena Arena, e garantiu a taça.

Robinho, jogador do Cruzeiro x Corinthians, partida válida pela final da Copa do Brasil 2018, na capital paulista. 17/10/2018, Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Com a vantagem no confronto, o time celeste começou a partida atrás, tentando um contra-ataque para matar a partida. Aos 28 minutos, o atacante Barcos aproveitou falha da zaga corintiana e acertou a trave de Cássio. No rebote, Robinho mandou a bola para o fundo das redes e abriu o placar para a Raposa.

Precisando da virada, o Corinthians partiu para cima no segundo tempo. Aos 10 minutos da segunda etapa, em um lance muito polêmico, o árbitro Wagner Nascimento dos Santos marcou pênalti de Thiago Neves em Ralf com ajuda do VAR. Jadson foi para cobrança e não deu chance para Fábio, igualando o marcador. Segundo Carlos Eugênio Simon, comentarista dos canais FOX Sports, não houve a infração.

Minutos depois, novamente o VAR entrou em ação. Desta vez, o jovem Pedrinho marcou um golaço, mas a arbitragem assinalou falta de Jadson em Dedé no início da jogada e manteve o placar em 1 a 1.

A Raposa ainda aproveitou a ida do Corinthians para cima e encaixou um contra-ataque fatal. O meia De Arrascaeta, que chegou nesta quarta-feira (17 de outubro).