Águas de Teresina adquiri próprio gerador de cloro e eleva segurança nas ETAs

Após a substituição do cloro gás por hipoclorito de sódio, a Águas de Teresina deu mais um passo importante para elevar a segurança operacional nas Estações de Tratamento de Água (ETAs). A concessionária passa a operar agora com um gerador próprio de cloro, tecnologia que aperfeiçoa ainda mais o processo e mantém a qualidade da água tratada que é distribuída em Teresina. O sistema entra em operação esta semana.

Com esse novo processo, a produção do cloro ocorre a partir da eletrólise da salmoura, ou seja, utilizando somente água, energia elétrica e sal cloreto de sódio. De acordo com Cláudio Guilherme, gerente de Operações da Águas de Teresina, a operação se torna mais simples, segura e automatizada, dispensando transporte, armazenamento e manuseio de produto químico.

“Todas as ações e melhorias que desenvolvemos têm como foco a prestação do melhor serviço à população, mas também a garantia da segurança operacional nas nossas unidades. Logo no início da gestão, substituímos o cloro gás pelo hipoclorito de sódio. A operação com o cloro gás havia alguns riscos e essa foi uma das nossas primeiras ações. Agora, com o gerador próprio de cloro, temos ainda mais segurança porque a operação demanda somente a reposição do cloreto de sódio (sal de cozinha) e ajustes do sistema. Uma operação segura e sustentável”, explica.

O novo sistema de cloração na Estação de Tratamento de Água Sul (ETA-Sul) e Estação de Tratamento de Água Norte (ETA-Norte) foi montado por uma empresa com experiência em soluções sustentáveis para o tratamento de água em processos industriais, saneamento básico e efluentes. O investimento foi de R$ 4,4 milhões.

A tecnologia que passa a ser adotada em Teresina é aplicável em estações de tratamento, poços ou indústrias de qualquer porte. Esse novo processo reforça também a responsabilidade da Águas de Teresina com o meio ambiente, visto que o sistema não opera com produtos contaminantes ou perigosos, sendo uma produção limpa, sem descartes de resíduos poluentes.

Este ano, a concessionária deu início ao processo de modernização nas Estações de Tratamento de Água (ETAs), importante ação que engloba o planejamento para colocar a capital do Piauí no ranking positivo do saneamento. Na primeira etapa, foi feita a atualização tecnológica dos equipamentos, novas subestações e acionamentos das unidades. O investimento será de aproximadamente R$ 4,2 milhões.

Fazendo uso do que há de mais moderno em saneamento, a empresa preza pela eficiência e segurança operacional para fazer com que o sistema de distribuição de água tratada funcione plenamente e esteja preparado para o crescimento urbano.

Água de Teresina
(Foto: Divulgação/Ascom)
Águas de Teresina
(Foto: Divulgação/Ascom)
Águas de Teresina
(Foto: Divulgação/Ascom)
COMPARTILHAR